quarta-feira, 6 de julho de 2005

Agridoce // música: Pato Fu

 
Sempre que ouço essa música nova do Pato Fu, tenha a estranha sensação de estar ouvindo um sucesso antigo de Roberto Carlos. Uma melodia nostálgica, uma letra melancólica e paradoxalmente libertadora. Como diz os versos da segunda estrofe da canção, sair em segredo, sem despedida, de sua vida, de uma maneira espetacular. Não sei se me identifico com essa canção, mas ela parece um bálsamo que nos purifica de algo que nos fazia mal antes, como uma paixão destruidoramente mansa, que nos sufoca silenciosamente. Já vivi muitos amores assim, sufocantes, ansiosos, silenciosos em sentimentos, alegres em olhares e sorrisos e tristes em partidas e despedidas. Mas parece que hoje, percebo que aprendi muito com minhas experiências, e mesmo assim, ainda tenho muito caminho a trilhar té encontrar realmente um abraço e um beijo que me faça chorar feito criança...

Por que você às vezes
Se faz de ruim?
Tenta me convencer
Que não mereço viver
Que não presto, enfim


Saio em segredo
Você nem vai notar
E assim sem despedida
Saio de sua vida
Tão espetacular


E ao chegar lá fora
Direi que fui embora
E que o mundo já pode se acabar
Pois tudo mais que existe
Só faz lembrar que o triste
Está em todo lugar


E quando acordo cedo
De uma noite sem sal
Sinto o gosto azedo
De uma vida doce
E amarga no final


Saio sem alarde
Sei que já vou tarde
Não tenho pressa
Nada a me esperar
Nenhuma novidade
As ruas da cidade
O mesmo velho mar
 
© 2013 Contaminação de Ideias. Todos os direitos reservados do autor. É proibida a cópia ou reprodução sem os direitos autoriais do autor Ulisses Goés. Powered By Blogger. Design by Main